domingo, 28 de agosto de 2011

A flor da pele



Tu encostas...
Feito brasa...
Consumindo-me  a  razão...
Acho  até que vou morrer.
No peito um acrobata...
Peripécias da paixão...
Delírios reais...
Ou pura imaginação.
Os olhos marejados...
De um medo, assim, latente...
Que quase me invade...
Me fazendo desmaiar.
Sinto-te a flor da pele...
Em cada átomo...
Me queimando...
Sem nem mesmo me tocar.
Quero - te em cada fio...
Do meu cabelo desgrenhado...
Em cada porção de ar...
Vital... Essencial.
Em mim só a angustia...
Por querer o universo...
 E o sol... E a lua...
Sem poder te entregar.

( Parte integrante do Meu livro de poemas " Palavras Soltas " )

domingo, 21 de agosto de 2011

Valeu a pena...



Valeu à pena sorrir...
 Deixar de herança duas marcas profundas da tal expressão...
Valeu à pena chorar...
E jamais esquecer o sabor salmorento de cada emoção...
Tudo que fiz nessa vida, de certo valeu a pena...
Cada palavra dita... Cada ofensa poupada...
Cada beijo roubado... Cada sonho lembrado...
Cada tapa merecido que a vida me deu... 
Não tenho dúvida alguma, que tenha valido a pena...
Valeu à pena esperar...
O alívio da dor...
O brilho do sol...
A felicidade.
Valeu à pena amar...
Quando este acabou no arfar do prazer...
Ou nas noites insones velando o fruto...
Valeu a pena nascer...
Valeu a pena viver...
E quando a essência se fizer dominar...
Terei também a certeza...
Que valeu a pena morrer.

(Parte integrante do meu livro de poemas “Palavras soltas”)

domingo, 14 de agosto de 2011

Feliz dia dos Pais!



À todos os homens que carregam nas costas o peso de outra vida além da sua...
Àqueles que se fazem de fortes, e assim o são; quando precisam garantir o sustento, a proteção e tantas outras coisas... Afinal, tão diferentes são os pais...
Que fingem não chorar quando escutam a primeira palavrinha ou flagram  o primeiro passo...
Hoje o dia é de vocês!
Homens, pais.... vocês que dedicam suas vidas ao provimento da família.
O que seriam das crianças, sem a voz paternal pra balancear nosso derretimento? Sem a segurança do seu braço forte?
O que seria da primeira bicicleta, sem sua mão?
Vocês completam as vidas dos filhos!
Parabéns pelo seu dia!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

É linda a arte de aprender...

Essa é uma singela homenagem aos estudantes...
 Àqueles que enchem meu dia de cor!
Meninos, meninas, garotos e garotas, homens e mulheres; sedentos por conhecimento.
Mesmo os que se mostram indisciplinados, se encantam quando podem enfim, absorver!
O que seria de mim sem eles?
São minhas manhãs... Minhas tardes... E até minhas noites, às vezes. Preenchem o vazio que às vezes se faz presente nos momentos de solidão.
Olhinhos brilhantes... Sonhos que ganham asas...
Corações emocionados com o prazer de descobrir.
Ah! Quão doce é o ofício de ensinar!
E tão maravilhosa é a arte de aprender!
Parabéns queridos estudantes, pela coragem... Determinação... Emoção... Confiança e respeito.
Alunos meus... e de todos os outros heróis, conhecidos como educadores... 
Parabéns estudantes!!!
Que valor teria nosso empenho, se não fosse sua vontade?
Tudo que recebemos em troca, são vocês quem nos dá... reconhecimento, amor... e a enorme satisfação de ensinar.

domingo, 7 de agosto de 2011

Homem não chora


Homem não chora
Nem por dor
Nem por amor
E antes que eu me esqueça
Nunca me passou pela cabeça
Lhe pedir perdão
E só porque eu estou aqui
Ajoelhado no chão
Com o coração na mão
Não quer dizer
Que tudo mudou
Que o tempo parou
Que você ganhou
Meu rosto vermelho e molhado
É só dos olhos pra fora
Todo mundo sabe
Que homem não chora
Esse meu rosto vermelho e molhado
É só dos olhos pra fora
Todo mundo sabe
Que homem não chora
Homem não chora
Nem por ter
Nem por perder
Lágrimas são água
Caem do meu queixo
E secam sem tocar o chão
E só porque você me viu
Cair em contradição
Dormindo em sua mão
Não vai fazer
A chuva passar
O mundo ficar
No mesmo lugar
Meu rosto vermelho e molhado...

( Música de Frejat)