domingo, 28 de agosto de 2011

A flor da pele



Tu encostas...
Feito brasa...
Consumindo-me  a  razão...
Acho  até que vou morrer.
No peito um acrobata...
Peripécias da paixão...
Delírios reais...
Ou pura imaginação.
Os olhos marejados...
De um medo, assim, latente...
Que quase me invade...
Me fazendo desmaiar.
Sinto-te a flor da pele...
Em cada átomo...
Me queimando...
Sem nem mesmo me tocar.
Quero - te em cada fio...
Do meu cabelo desgrenhado...
Em cada porção de ar...
Vital... Essencial.
Em mim só a angustia...
Por querer o universo...
 E o sol... E a lua...
Sem poder te entregar.

( Parte integrante do Meu livro de poemas " Palavras Soltas " )

Um comentário: